terça-feira, 22 de novembro de 2011

Distancia


A distancia por vezes revela se um grande nosso inimigo, pois deixa longe as pessoas que amamos. É triste ver a decadência daquelas pessoas. Amam-se mas não se podem ver.
Magoa, mas muito mais que isso deixa sempre a memória daquilo que um dia nós vivemos, daquilo que ja sofremos, muitas vezes de um passado que queremos apagar, esquecer completamente.
Mas por vezes não dá. Não temos escolha senão voltar ao passado e acabar aquilo que começamos. Mas se não fosse assim, a nossa vida teria piada ? Bem para muitos sim, era sinónimo de não sofrer, para outros era indiferente, pois não passam por isso. As opiniões das pessoas hoje em dia são muito relativas, muito mesmo, não há um padrão certo daquilo que é amar, do que é sofrer, se bem que disso era difícil fazer um padrão, pois todos somos diferentes, uns mais sensíveis que outros. Mas se não fosse assim a vida era monótona, acho eu. Mas isso também é relativo.
Mas a distancia por vezes trama-nos ao virar a esquina, aparece de repente, e depois nós que somos? sem ter aquela pessoa que amamos ao nosso lado que somos? falando de mim, eu não era nada, não vivia, apenas sobrevivia.
.........................................

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Ódio


Ódio, uma palavra sem dúvida muito forte, muitas das vezes mal empregada, e acima de tudo poderosíssima. Tem o dom único de destruir famílias, derrubar pessoas de toda a sorte.
Definir ódio é uma missão impossível, apesar de ser o oposto de “amor”, tem uma coisa em comum, são indefiníveis. Não dá para dizer: “Ódio é raiva!”, porque são completamente distintos…ódio, para mim, é a sensação de adeus, de “acabou”, um sentimento mau, forte e poderoso. Para mim, ódio é quando ficamos cheios de alguma coisa, sem saber bem o que é. É destruirmo-nos por dentro, e depois perguntar porquê!
Quando dizemos: “ODEIO-TE!” Estamos a causar mais danos do que se tivéssemos matado aquela pessoa, pois se a tivéssemos morto ela não sofria, assim vai sofrer pela eternidade. É complicada, uma palavra sem dúvida muito perigosa…
É difícil perceber o verdadeiro significado desta palavra no dicionário é:
Sentimento de profunda inimizade; paixão que conduz ao mal que se faz ou se deseja a outrem.
Ira contida; rancor violento e duradouro.
Viva repugnância, repulsão, horror.
Aversão instintiva, antipatia.
Ódio mortal ou ódio figadal, o que é muito intenso e leva uma pessoa a desejar a morte de outra.
Muitos, como eu, irão discordar deste significado. Para uma palavra como esta, a definição está emotiva…o ódio é um sentimento muito forte, não se contêm, simplesmente manda-se para fora…é um sentimento que nos arrepia só de pensar, que nos deixa zonzos quando se vai embora, que nos enches de fogo quando quer voltar…que nos dá a sensação de poder, quando o temos…um sentimento sem dúvida muito poderoso.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Música


Existem imensos estilos de música, cada um mais diferente e estranho. Existe o Pop, Rock, Metal, Heavy Metal, Hip Hop…entre muitos outros.
Alguns destes estilos marcam a vida de uma pessoa. Mudam a sua maneira de pensar. Muitas pessoas simplesmente ouvem música por ouvir, já outras, a música significa muito, significa um sentimento, um estado de espírito, uma maneira de pensar.
A música tem o poder de enfurecer as pessoas, ou pelo contrário, acalma-las. Ouvir certas músicas, com determinadas letras, lembra-nos a nossa vida, o que vivemos, o que sentimos…faz nos pensar que não somos os únicos que nos sentimos assim. Que alguém partilha da nossa dor, ou da nossa alegria. Para uma pessoa que realmente gosta e que realmente aprecia música, a música acaba por fazer parte da nossa vida, é uma companheira que está sempre lá. É estranho a sensação que conseguimos obter quando ouvimos determinadas músicas, a maneira como elas mexem nos nossos sentimentos, como elas os manipulam à sua vontade, é simplesmente maravilhoso.
É espectacular a maneira como nós as fixamos rapidamente, e depois não paramos de canta-las. Ficam na nossa mente, e muitas vezes as mais profundas gravam se no coração e por muitos anos que passem, elas estão sempre lá. Se parar mos e pensarmos um pouco, alguém vive sem ouvir uma musica que seja? Acho que ninguém, na nossa sociedade a musica e um bem que quando se adquire é para sempre. No meu caso é, no vosso não sei.
Mas pensemos juntos, como se sentem se ouvirem uma música alegre? Automaticamente ficamos alegres, com vontade de dançar, de cantar, de pular, principalmente se gostarmos dessa música. Em contra partida as musicas mais tristes, no meu caso, não me põem triste, porque penso “afinal, não sou a única”. É bom pensar se assim quando nos sentimos em baixo.
Enfim, em mim a musica ajuda me…espero que surta o mesmo efeito em quem ler este texto.

"Quero, posso e mando"


Bem, esta é uma frase típica das pessoas de hoje. Muita gente pensa que faz tudo o que quer, que pode comprar tudo e todos, pensam, erronicamente, que por terem muitas coisas, muito dinheiro, controlam tudo, quando no fundo não controlam nada...

Quem pensa assim, por muitos anos que viva, nunca conseguirá ter satisfação na vida que leva. Vai sempre querer mais, e mais, e cada vez mais, nunca se conseguirá contentar com o que já possui.

Muitas pessoas hoje têm um único objectivo na vida: Mandar nos outros, ser mais poderoso do que os outros. Quem tem esse desejo nunca irá passar de um frustrado. Não adianta ter roupas de marca, ter tudo do bom e do melhor, porque se nós, a nossa pessoa, não valer nada, ninguém se irá aproximar de nós, a não ser os interesseiros, claro, mas esses também nunca conseguiram ser alguém na vida, hão-de viver sempre às custas dos outros.

Se estivermos constantemente a pensar nas coisas que podíamos ter feito, e que eventualmente não fizemos, as coisas que podíamos ter vivido, nunca conseguiremos viver bem. Não vale a pena pensar nisso, pois não conseguimos andar para trás no tempo, logo é impossível mudar o que já passou, no máximo podemos arrependermos-nos, aprender a lição e seguir em frente. Ser feliz, aprender a viver a vida da maneira que ela se apresentar a nós, e aprender a joga-la, sim porque acreditem ou não a vida é um jogo, com algumas regras, só temos de aprender as regras e descobrir uma táctica de sairmos o menos magoados possível do jogo.

Enfim...por muito que não gostem desta prespectiva da vida, é assim que eu a vejo. Se é melhor ou não, é opinião pessoal.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Arrependimento


"Se o arrependimento mata-se...", certamente todos ouvimos esta frase muitas vezes. Hoje as pessoas fazem ou dizem coisas que depois quando pensam, seriamente nisso, se arrependem. Arrependem-se de não ter "agarrado" alguma oportunidade, de ter deixado escapar a pessoa que amavam, arrependem-se de não pensar, que é o meu caso. Faço as coisas e não penso, por vezes perco o controlo de mim, é como que se o meu corpo ganha-se vontade própria, deixo de conseguir controla-lo.

Hoje olho para o passado e vejo erros, que...que me dá muito que pensar. Sei que vou ficar com marcas para o resto da vida, nunca me hei-de esquecer, fases complicadas, cicatrizes que doem, que corroem por dentro. Fiz tantas coisas fúteis, tantas coisas quase que sem motivo. Não sei se era impulso, era uma reacção, quase que, automática que o meu corpo tomava para se defender dos sentimentos que tinha, que infelizmente ainda tenho.

Gostava, mas gostava, mesmo de conseguir mudar isso, eu tento, mas nem sempre é fácil... Mas como diz aquela celebre frase "Quem disse que a vida era fácil?"

Enfim... "SE O ARREPENDIMENTO MATA-SE"....

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

LOVE

Well...today I felt like writing in English. I didn’t know what to write. To inspire me I heard music, more properly Eminem. And one of his song’s ‘No Love’. Well the song doesn’t speak directly of war...but when we see the news, what are they talking? WAR, WAR, WAR!!! People dying through the entire world...dying to starve, dying of disease.


In the world doesn’t exist love...Are rare the people that feel real love.



When I found the person I really love, I found in me new feelings...and I understood that human beings are capable of feeling true love...for her I do everything, I die for... I’m talking about my BEST FRIEND EVER...my sister!!!



I LOVE YOU SISTER!!!

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Perdida


Por vezes vemos a nossa vida desabar do dia para a noite. Vemos tudo passar-nos a frente, tudo o que gostamos desmoronar-se, o nosso mundo cai, senti mo nos completamente à deriva. Lutar contra o que sinto deixar fugir quem amamos. É duro!! Sentir um nó no estômago.

Olhar para trás e ver a miserável vida que tive, sempre estive sozinha, sempre que tinha problemas tive de aprender a resolve-los sozinha. E agora, de repente, lembraram-se que eu existo, às vezes é preciso estar quase a perder alguém para lhe dar o devido valor. Mas agora é tarde...mesmo que quisessem não conseguiam.

A única vontade que tenho é desaparecer, morrer, assim acabava-se todo o meu sofrimento. Sofro demais, todos os dias luto contra o que sinto, contra tudo o que sou. Doí, magoa, deixa uma ferida bem grande, que irá levar muito tempo a sarar.

Levantar-me todos os dias de manhã é um desafio, a única vontade que tenho é ficar deitada a chorar é a única coisa que me apetece fazer. É triste, é a vida.