quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Perdida


Por vezes vemos a nossa vida desabar do dia para a noite. Vemos tudo passar-nos a frente, tudo o que gostamos desmoronar-se, o nosso mundo cai, senti mo nos completamente à deriva. Lutar contra o que sinto deixar fugir quem amamos. É duro!! Sentir um nó no estômago.

Olhar para trás e ver a miserável vida que tive, sempre estive sozinha, sempre que tinha problemas tive de aprender a resolve-los sozinha. E agora, de repente, lembraram-se que eu existo, às vezes é preciso estar quase a perder alguém para lhe dar o devido valor. Mas agora é tarde...mesmo que quisessem não conseguiam.

A única vontade que tenho é desaparecer, morrer, assim acabava-se todo o meu sofrimento. Sofro demais, todos os dias luto contra o que sinto, contra tudo o que sou. Doí, magoa, deixa uma ferida bem grande, que irá levar muito tempo a sarar.

Levantar-me todos os dias de manhã é um desafio, a única vontade que tenho é ficar deitada a chorar é a única coisa que me apetece fazer. É triste, é a vida.

1 comentário:

  1. Olá Carla.
    Que texto tão triste, mas bem escrito. Compreendo que ás vezes estamos tristes e outras vezes contentes, faz parte do nosso crescimento, saber lidar com as tristezas e com as alegrias.
    Porem escreves-te algumas coisas que me deixam triste: "Olhar para trás e ver a miserável vida que tive, sempre estive sozinha, sempre que tinha problemas tive de aprender a resolve-los sozinha." não acredito que isto seja verdade, não acredito mesmo. E escreves-te outras coisa que me deixaram ainda muito mais triste: "A única vontade que tenho é desaparecer, morrer, assim acabava-se todo o meu sofrimento.". Ao escreveres isto contagias quem lê e gosta de ti.
    Espero que ao escreveres este desabafo tenhas sentido aliviada porque amanhã é outro dia e novas alegrias e tristezas vão vir.
    Beijinho de quem sofre e ri contigo

    ResponderEliminar