segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Arrependimento


"Se o arrependimento mata-se...", certamente todos ouvimos esta frase muitas vezes. Hoje as pessoas fazem ou dizem coisas que depois quando pensam, seriamente nisso, se arrependem. Arrependem-se de não ter "agarrado" alguma oportunidade, de ter deixado escapar a pessoa que amavam, arrependem-se de não pensar, que é o meu caso. Faço as coisas e não penso, por vezes perco o controlo de mim, é como que se o meu corpo ganha-se vontade própria, deixo de conseguir controla-lo.

Hoje olho para o passado e vejo erros, que...que me dá muito que pensar. Sei que vou ficar com marcas para o resto da vida, nunca me hei-de esquecer, fases complicadas, cicatrizes que doem, que corroem por dentro. Fiz tantas coisas fúteis, tantas coisas quase que sem motivo. Não sei se era impulso, era uma reacção, quase que, automática que o meu corpo tomava para se defender dos sentimentos que tinha, que infelizmente ainda tenho.

Gostava, mas gostava, mesmo de conseguir mudar isso, eu tento, mas nem sempre é fácil... Mas como diz aquela celebre frase "Quem disse que a vida era fácil?"

Enfim... "SE O ARREPENDIMENTO MATA-SE"....